quinta-feira, 2 de julho de 2009

Os Poderes Paralelos dos Grupos Organizados Aterrorizam o Brasil!


Grupos armados com fins políticos pelo o mundo à fora sempre existiram.
Alguns dos mais famosos são: O IRA (Exército Revolucionário Irlandês) ETA (Pátria Basca e Liberdade) Espanha e França, OLP-Organização para a Libertação da Palestina, Brigadas Vermelhas na Itália, Sendero Luminoso no Peru, As Farc na Colômbia e muitos outros.
No Brasil aumenta cada vez mais o poder de fogo dos grupos armados, mesmo os de apelo político com é o caso do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra o MST que tinha como objetivo principal conseguir terras para os seus integrantes plantarem e “aparentemente” contribuir para a aceleração do processo de Reforma Agrária no Brasil, hoje é um movimento que tem plantado o terror no campo ocupando terras produtivas sem um critério definido e apesar de receber incentivos financeiro do governo se transformou num dos grupos armados mais perigosos do País.
Outras organizações nomeadamente criminosas vêm surgindo no Brasil desde o famoso bando de Lampião que com o falso propósito de uma rebelião social contra os poderosos latifundiários nordestinos e autoridades brasileiras da época aterrorizava o sertão do Brasil matando e fazendo as suas próprias leis.
O Comando Vermelho é uma das maiores organizações criminosas do Brasil. Foi criado entre 1969 e 1975 no Rio de Janeiro, mas precisamente no presídio da Ilha Grande, também apelidado por “Caldeirão do Inferno” Com o nome de Falange Vermelha nome de batismo dado pela comunidade carcerária carioca tendo entre os seus fundadores nomes como: William da Silva Lima, o Professor, assaltante de bancos e enquadrado na lei de segurança nacional considerado preso político, foi o idealizador e principal mentor da organização,autor de um livro autobiográfico"400 Contra 1" - Uma História do Comando Vermelho" publicado em 2001 e que virou filme. Jose Carlos dos Reis Encina, o Escadinha que viria a ficar famoso por fugas espetaculares de presídios do Rio como a do helicóptero que o resgatou no pátio do presídio da Ilha Grande.Escadinha foi assassinado em 2004 na Avenida Brasil, altura de Padre Miguel no Rio de Janeiro e Rogério Lemgruber, o Bagulhão,um dos mais idolatrados do grupo que faleceu em 1992 de diabetes no Hospital Miguel Couto no Rio de Janeiro.
O Tiro saiu pela culatra: Numa tentativa do Governo militar de equiparar os revolucionários de esquerda aos presos comuns surgiu uma das maiores organizações criminosas do país que comanda o crime organizado no Rio de Janeiro e segundo membros da própria polícia, cada vez mais fortalecida.
O PCC - Primeiro comando da Capital composto por 130 homens nos presídios e com mais de dez mil “soldados” assim que são chamados os criminosos que estão nas ruas para executarem as ordens dos chefões da organização.
Também conhecido como “partido do Crime o PCC é também visto por alguns políticos como um grande partido comunista, com uma tesouraria descentralizada e um comando central com poder de decisão sincronizado com os membros mais graduados da organização.
Um dos oito fundadores da facção Mizael Aparecido da Silva, o Miza, assassinado na prisão de Bangu 1 foi o responsável pelo o estatuto que tem como base um teor político acentuado.
Antes de sua morte deixou uma carta para os seus comparsas onde pregava um mega evento de âmbito nacional, ou seja uma rebelião orquestrada em todo país, além de assassinatos de juristas, políticos, jornalistas e policias.Tudo isso numa co-parceria com o”Comando Vermelho”
Um dos principais objetivos do PCC é eleger representantes na Câmara, os seus líderes procuram se informar politicamente e pra isso leem obras literárias de esquerda como: Lênin, e Trotski líderes da revolução da Rússia de 1917.
O número 1 do PCC Marcos Camacho o “Marcola” é um homem muito bem informado e controla tudo de dentro de um presídio de segurança máxima, pasmem! segundo informações do Ministério Público ele já leu mais de três mil livros e “A Arte da Guerra é um dos seus preferidos.
A facção criminosa recruta do exterior especialistas em explosivos e manuseio de fuzis para treinar seus soldados, esses profissionais do crime são pagos a peso de ouro e vem da Colômbia membros das Farc e ex guerrilheiros angolanos segundo declarações de policias dadas a parlamentares.
Em abril de 2005 o PCC organizou uma passeata com 8 mil mulheres e parentes de presos. Centenas de ônibus foram fretados na capital, Grande São Paulo, litoral e interior.Com um carro de som, faixas e camisetas, os manifestantes se reuniram na frente da SAP-Secretaria da Administração Penitenciária para reivindicar melhores condições nas prisões. Segundo o Poder Judiciário, até o Movimento dos Sem-Terra (MST) ajudou o PCC a organizar o protesto.
O PCC conta com importante ajuda de advogados e é também acusado de usar o seu volumosos caixa para pagar cursos de direito para seus protegidos para acompanhar processos dos integrantes nas ruas e cadeias. Outra tática atribuída ao grupo criminoso é fraudar concursos públicos e manter em seus quadros policiais e até agentes penitenciários federais e estaduais de confiança.
Até juizes, com medo de retaliações estariam absolvendo integrantes do PCC e negando pedidos de internações de presos em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Policiais civis também foram ameaçados.
Os Maiores aliados das facções são os telefones celulares e quem será o corajoso diretor de presídio que terá o peito pra bloqueá-los ou proibi-los?

A manchete do jornal mais vendido do país diz que os criminosos brasileiros criaram perto de Lisboa, na margem sul do rio Tejo, o Primeiro Comando Português.A matéria ocupa quatro páginas do jornal. Seriam jovens com antecedentes criminais, em situação de ilegalidade em Portugal,que estariam organizados por meio da internet.
A jornalista Tânia Laranjo, contou à BBC Brasil como chegou ao grupo. "Criei um perfil falso no Orkut, fui aceita como amiga deles e consegui que dessem acesso aos conteúdos deles", afirmou.
Entre as fotos que estão na rede, há imagens de armas, celulares e dinheiro que teria sido fruto de roubos.

Milícias Carioca-Outra organização criminosa que está amedrontando a população das favelas do Rio de Janeiro das quais 200 já estão sob o domínio desses grupos formados por ex policias, ex bombeiros, guardadores de automóveis, e pasmem!até vereadores e deputados.
As Milícias expulsaram os traficantes das favelas e morros do Rio e na promessa de proteger a comunidade estão dominando as vãs, a distribuição de gás, TV à cabo pirata e outras atividades ilegais, estão desafiando as autoridades da Cidade Maravilhosa e tirando o sono da população que precisa encarar o batente no dia a dia.Alguém pode dizer aonde vamos parar?

Edigarde Rodrigues

Um comentário:

Márcia disse...

Excelente matéria.
Pergunto: Porque a nossa Nação em tão pouco tempo de existência, já figura como fábrica de crimonosos?