domingo, 5 de julho de 2009

Boni, um Gênio que a Televisão Brasileira Ainda Precisa Muito Dele!


Muitas coisas em nossas vidas não conseguimos entender, além de não nos conformarmos quando as perdemos, dentre essas a morte prematura de pessoas que nos são muito caras como amigos e familiares próximos ou algumas celebridades como Airton Sena e mais recente o talento desse menino-homem Michael Jackson.
Uma situação que não me conformo por mais que eu tente é aceitar a ausência de um verdadeiro gênio da televisão brasileira, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o radialista,publicitário,produtor,roteirista,escritor,diretor, e o executivo responsável pelo sucesso desses anos todos da Rede Globo de Televisão além de ser o mentor principal do famoso “Padrão Globo de Qualidade”, que foi o divisor de águas na Televisão do Brasil, marcando de forma definitiva o antes e depois do padrão por ele instituído, depois de um acordo com a Embratel a emissora deixava de lado o jeito arcaico dos programas de viajarem de avião de uma praça à outra e com isso a programação podia ser transmitida simultaneamente, o que tornou possível o sucesso do Jornal Nacional e o Fantástico, líderes de audiência até hoje. Outro grande feito por ele na época juntamente com o Walter Clark foi o de tirar o domínio de patrocinadores (Sidney Ross, Colgate-Palmolive entre outros ) que mandavam e desmandavam na programação das TV’s e até possuíam elencos próprios. Com maestria ele conseguiu implantar a verticalização na programação da Rede Globo e com a rigidez nos horários ganhou a credibilidade do telespectador e dos anunciantes que à partir de então puderam confiar que seus anúncios seriam veiculados seguindo a mesma rigidez dos programas, ou seja,dentro dos horários pré estabelecidos, o que antes era quase impossível.

Outro dia ao assistir um jogo importante numa tarde de domingo deparei com algo que seria impossível durante sua gestão.
A metade do campo com sol e outra na sombra total e quando a bola vinha pra sombra não se via nada, e eu instintivamente comentei com a minha companheira,” Que saudade do Boni” não que ele fosse operador de vídeo,mas eu tive que explicá-la, mesmo não tendo trabalhado sob seu comando, mas duvido que na época dele esses e outros furos que acontecem hoje na programação da Globo fossem possíveis, mesmo porque aquela idéia de “Padrão Globo de Qualidade” fazia parte de um todo,ou melhor,em toda Rede, como uma cartilha on-line o que colocava todos sempre alerta.Quem ganhava com isso?os telespectadores,anunciantes e profissionais do ramo.
O “Boni” que não é ator famoso, cantor, nem jogador de futebol, mas é muito difícil encontarar um brasileiro comum que não o conheça e mais ainda não reconheça o seu contributo a comunicação no Brasil.

No alto dos seus “quase” setenta e três ano Boni está em pleno vigor, muito embora confesse ser um “Hipocondríaco convicto”.
Depois de ter comandado a Rede Globo por mais de três décadas está pronto e preparadíssimo para comandar uma grande Rede de Televisão.
Atualmente comanda uma concessão de TV na cidade de Taubaté, interior de São Paulo e depois de negociar com a própria Globo uma concessão na cidade de São José dos Campos, vizinha à Taubaté pôs no ar a Rede Vanguarda, formada por emissoras nas duas cidades, uma filial em Bragança Paulista, sucursal em Guaratinguetá e mais 44 retransmissoras e também atua como conselheiro da Rede Brasil a convite do Presidente Lula. Eu confesso que ainda é muito pouco pra tanta capacidade.
Depois desses anos à frente da quarta Televisão do mundo, imaginem a experiência e a vontade dele em assumir com carta branca uma grande Rede e ai poderemos mais vez ter de volta a televisão brasileira ao seu lugar de sempre com entretenimento de qualidade e respeito em todos os sentidos, sejam na a´rea técnica e na programação porque o telespectador merece.
Quando da negociação do SBT com a Televisa da qual o Boni participou, eu torci muito pra que desse certo, pois só assim eu realizaria o meu sonho de trabalhar sob seu comando, na época eu fazia parte dos quadros da emissora do Silvio Santos.

A Habilidade e Competência X Talento e Arrogância
A grande diferença entre o Boni e seu ex colega de empreitada na Globo, Walter Clark, com quem tive o prazer de trabalhar na sua passagem pela Band, é que o Walter com todo o talento que possuía não tinha a habilidade política que o Boni possui e o preço que ele pagou na época foi muito caro por falar o que pensava mesmo para os senhores Generais da ditadura militar, enquanto o Boni com a sua simplicidade assumiu e deu conta do que seria dividido com o Walter Clark
e tornou-se o Homem mais importante da comunicação do pais sem sombra de dúvidas.

Outro dia eu perguntei a ele em seu blog-http://bloglog.globo.com/boni/ por que ele não fazia um livro diferente daquele sobre a televisão no Brasil,ou seja,só contando casos o que ele faz muito bem e ele me respondeu que não tinha tempo, o que eu nunca duvido. só que eu acho que o seu tempo poderia ser concentrado para fortalecer uma grande Rede de TV e colocá-la ao nível da Rede Globo porque conhecimento pra isso não lhe falta.

A minha homenagem com um “tom de apelo” é pela volta urgente desse talento que a Televisão Brasileira tanto precisa e que a juventude que sai das faculdades á toda hora não fique só pesquisando pelo o que ele foi e sim pelo o que ele é pode contribuir muito mais para melhorar a qualidade da nossa televisão que, diga-se de passagem, está de dar dó.
José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, paulista de Osasco foi atraído pelo Rádio desde pequeno quando acompanhava seu pai que o deixou quando “Boni”, apelido carinhoso dado pela sua mãe tinha apenas sete anos.
De mudança para o Rio onde sua mãe tinha parentes acompanhava a sua tia a Rádio Clube do Brasil e a Rádio Nacional onde conheceu o dramaturgo e diretor Dias Gomes que lhe deu a primeira chance e o lhe fez gostar do vício do Radio.
Aos 17 anos já escrevia para o programa “Clube Juvenil Toddy” e em São Paulo através de Manoel da Nóbrega e de Rodolfo Lima Martensen um grande publicitário cuja esposa era cliente de sua tia cabeleireira, chegou a TV Tupi onde escrevia programas do gênero que fazia no Rio.
Aos 19 anos já era assistente de direção da TV Paulista.
Eu não disse? Esse garoto ainda tem um bom futuro pela frente! Ainda bem que o Boni goza de perfeita saúde (não fique triste hipocondríaco de plantão)
Boas idéias é que não vão faltar. Ainda vamos comemorar a sua volta triunfante!

Estou pensando seriamente em encabeçar uma campanha à nível Brasil para dar mais ênfase ao meu apelo “Volta Urgente Boni” e não nos deixe na escuridão dos campos.

Edigarde Rodrigues

Um comentário:

Maria Ap. da Silva disse...

Boa noite Edigarde!
Gostei muito da matéria valeu.
Um forte abraço.

Maria Aparecida