domingo, 21 de junho de 2009

O Donatário da Capitania Hereditária do Maranhão José Sarney e sua Mimada Filha Roseana Estão em Papos de Aranha!


Quando José Sarney elegeu-se governador do Estado do Maranhão em 1965 apoiado pelo primeiro presidente do regime militar Castelo Branco, Roseana tinha 12 anos de idade e vivia no Rio de Janeiro.
Declaradamente a filhinha preferida do papai sempre foi cercada de atenções e super mimada, talvez por isso ele seja tão temperamental e mandona, segundo os seus oposicionistas e as pessoas mais próximas a ela.
Em seu currículo a Roseana Sarney já protagonizou vários escândalos num passado recente como o caso Sudan, OAS entre outros.

Apesar de sua saúde complicada que a levou a diversas intervenções cirúrgicas o seu temperamento e suas atitudes em relação ao excesso de poder que ela acumula há vários anos, não permitiu uma mudança e um abrandamento no seu comportamento.
Recentemente empossada no cargo de governadora em substituição ao Governador Jackson Lago (PDT), cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral juntamente com seu vice Luiz Carlos Porto (PPS) por abuso de poder econômico e político nas eleições de 2006.
A atual governadora do Maranhão mantém uma residência no Lago sul em Brasília e mais uma vez numa demonstração de abuso do dinheiro público, dispõe dos serviços de Amaury de Jesus Machado, de 51 anos, conhecido como "Secreta", que é funcionário efetivo do senado e trabalha para ex senadora como uma espécie de mordomo e ganha com gratificações em torno de R$ 12 mil pago pelo povo já que deveria está prestando os seus serviços para a instituição que lhe paga esse gordo salário.
Não é de hoje que a ligação do “secreta” com a família do Donatário do Maranhão o servidor tem um longo histórico de serviços prestados à família - trabalhou até no Palácio da Alvorada quando Sarney era presidente (1985-1990).

Roseana Sarney admitiu que ele presta serviços pra ela, "ele é seu afilhado"
e foi a própria governadora que trouxe ele do Maranhão pra Brasília".
Se é afilhado ou não o povo não tem nada haver com isso, então pague o salário do “secreta” e ele por sua vez peça dispensa do seu cargo do senado e passe a trabalhar unicamente para a generosa patroa e vamos ver se ela vai pagar esse salário de causar inveja a muitos executivos e muitos profissionais altamente qualificados no Brasil e mesmo no exterior.

Como se não bastasse, mais um escândalo envolvendo a governadora do Maranhão: A arquiteta Isabella Murad que é sobrinha de Jorge Murad, seu marido, apesar de morar em Barcelona na Espanha continuava recebendo salários do legislativo e pago pelo senado e nesta sexta-feira 19/06 foi exonerada pela liderança do PTB. Ufa! São tantas ocorrencias envolvendo a herdeira do trono do Maranhão que não caberia nessa página.

José Sarney apesar de possuir uma residência em Brasília figura na lista dos premiados com o salário-moradia, que a cada mês engordava ainda mais a sua obesa conta bancária em R$3,8 mil e ele não se dava conta ou nem fazia cócegas essa “merreca’ que pra ele era incapaz de chamar-lhe a atenção, mas que significa para um maranhense comum um ano de trabalho para juntar essa quantia e o Presidente do Senado recebe em apenas um mês, mesmo sem pedir, segundo o próprio “Donatário”.
José Sarney tem sido cobrado por seus pares uma posição mais enérgica no sentido de esclarecer algumas questões que a cada dia macula cada vez mais a casa que deveria servir de exemplo de moralidade a todo país.
Senadores governistas e da oposição descartam o afastamento do peemedebista, mas reconhecem que Sarney deveria ter anunciado medidas práticas durante o discurso. O fato de Sarney tentar se eximir de responsabilidades pelos atos secretos deixa a maioria intrigada, mesmo porque o “Donatário” já exerceu dois mandatos anteriormente e não pode simplismente dizer que não sabia de nada e ao tentar se eximir das responsabilidades pelos atos secretos deixou de prestar à opinião pública explicações necessárias sobre a crise no Senado.
A principal crítica ao discurso está relacionada ao fato de Sarney não ter definido que atitude tomará com relação a medidas punitivas no escândalo dos atos sigilosos editados pela instituição nos últimos 14 anos.

Depois do neto e de duas sobrinhas de José Sarney (PMDB-AP), presidente da Casa, O mais novo nome da lista é o de Virgínia Murad de Araújo. Ela foi nomeada assistente parlamentar do gabinete da liderança do governo no Congresso, à época ocupada por Roseana. Seu salário, na ocasião, era de R$ 1.247. Onze meses após ter sido nomeada, ela passou a ganhar exatamente o dobro - R$ 2.494. Virgínia é filha do ex-deputado Emílio Biló Murad, primo de Jorge Murad, genro de Sarney.
Até onde vai a gana pelo o poder e pelo dinheiro que leva um político do calibre do Senador que já foi o Presidente da Rpública a ponto de perder o controle da situação em prol dos seus interesses sem se preocupar como bem do coletivo pensando e agindo como o “Donatário de sua capitania”. da época imperial. O Fato de Sarney declarar que o Problema é do Senado e não dele, não honra um imortal da Academia nem tampouco um líder que tem a responsabilidade de responder pelo bom andamento da casa que é o símbolo da democracia do país e que cabe a ele como presidente contribuir com suas atitudes austeras e claras para punir os responsáveis, ou um "mea culpa" por “atos” que em nada contribuem para uma democracia plena e só beneficia grupos que não merecem a confiança do povo Brasileiro. Esse é o lado obscuro do Senador que deslocou-se de vez da realidade e, sobretudo da capitania que domina há 50 anos como um verdadeiro “Donatário”.



Edigarde Rodrigues

Um comentário:

Maria Ap. da Silva disse...

Boa noite Edigarde!
Parabéns gostei muito da matéria, será que esse pessoal tem vergonha na cara?
Acho que não, más infelizmente aqui no Brasil tudo termina em Pizza.
Um forte abraço

Maria Aparecida